sexta-feira, 31 de outubro de 2008


MÍDIA

Âncoras da tevê brasileira são uma vergonha

No início dos anos 90 os brasileiros experimentavam o gostinho da liberdade de expressão. O povo e, sobretudo, a mídia começavam a testar novas formas de comunicação, após um longo período de mordaça imposto pela ditadura militar.

Repórteres e apresentadores de telejornais que mal podiam noticiar os fatos sem medo de reprimendas se viam no direito de experimentar, errar e comentar as notícias. Deste modo, importamos para o jornalismo a figura do âncora – o apresentador que, além de anunciar e narrar as matérias e chamar os repórteres, tece comentários balizados sobre os acontecimentos do dia.

Diz-se que o termo foi aplicado pela primeira vez em 1952, para se referir ao jornalista Walter Cronkite, criador do estilo. Outras importantes figuras do gênero foram Barbara Walters, primeira mulher a ‘ancorar’ um telejornal na rede ABC, em 1976; e Sir Bernard Shaw, escritor, jornalista e dramaturgo irlandês reconhecido mundialmente.

Com o passar do tempo a função do âncora se vulgarizou no mundo. Contudo, no Brasil tivemos um ilustre representante da espécie, o competente e, hoje desgastado, Boris Casoy.

O problema é que Boris, autor da célebre frase ‘isso é uma vergonha’, não fez escola.

Ótimos apresentadores e repórteres quando assumem as bancadas dos telejornais de suas respectivas emissoras não dão conta do recado e parecem atores tentando interpretar indignação a cada perda de unha de um macaco prego na África.

Salete Lemos, atualmente na CNT, parece a mais confortável na posição. Sóbria e segura, comenta pouco, mas acertadamente. O ‘casal telejornal’ da Globo, Willian Boner e Fátima Bernardes, são capazes e pertinentes, porém não se expressam, pois seus comentários não combinam com o consagrado formato do Jornal Nacional.

Não se levando em conta Datenas e Wagneres Montes e seus pares, porque parecem mais animadores de torcida do que apresentadores, quem mais me chama a atenção hoje em dia é Carlos Nascimento, do SBT.

Nascimento foi um repórter e correspondente competentíssimo, é bom apresentador, contudo um péssimo âncora. É o melhor retrato do tipo indignado de butique que citei há pouco.

Dia desses o jornalista criticou a declaração técnica de um bombeiro médico que disse que os primeiros socorros adequados poupam os cofres públicos, já a recuperação de um paciente levado para o hospital em estado grave gastaria metade do valor do que um paciente em estado gravíssimo.

Nascimento disparou a frase feita: ‘vidas humanas não tem preço’. Outra vez logo após noticiar a separação da cantora Madonna e o diretor de cinema Guy Ritchie, ele falou que o cineasta tomou a pior porque quem é mais rica e famosa é a cantora.

E daí?

Era para ser engraçado?

Esta é a função do âncora, afundar a notícia?

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

MEU MUNDO

Um comentário que virou um post

Esta é minha resposta ao blog de uma querida amiga que reflete a minha mais pura e sucinta verdade sobre a nossa passagem por este planeta e, sobretudo, pelas nossas expressões de tão desconhecido assunto.

Como já falei de futilidades demais por hoje – e tenho certeza que minha amiga não vai se incomodar – resolvi dividir esta comunicação aqui.

‘Você não tem uma alma; não é um corpo que tem uma alma, você é uma alma...

Que tem um corpo. Emprestado, diga-se.

Logo (não tão logo! rs) terá que devolvê-lo para que ele passe pelas derradeiras transformações.

Durante esse empréstimo, vá transformando ele você também. Para melhor!

Academia, piercing, brincos, tatuagens... Como você quiser.

Mas não se esqueça de transformar a sua alma também. Engorde-a e depois faça lipo. Faça, refaça e depois desfaça. Opte e depois se arrependa, não tem problema, mas exercite-a. Sempre!’ Leo Pinheiro
(sic)

Ah, a amiga também é bloggeira. Dona do http://modernalaparetro.blogspot.com/ apareçam lá também!

POLÍCIA

Os 'Dados' ainda estão rolando


Devido a repercussão do post sobre o fim do namoro de Luana Piovani e Dado Dolabella, resolvi publicar a réplica de Luana sobre sua 'ingenuidade'.

‘27/10/2008

Ufa!

Queridos todos, escrevo aqui para dizer que me livrei duma roubada...
Ia me casar com alguém que não conhecia...
Deus, como sempre, me protegeu.
Então é isso, fica aqui meu suspiro de alívio e minha profunda tristeza em ver minha amada camareira, Esme, de braços imobilizados...’
(sic)

Luana ainda transcreveu em seu blog o ‘Soneto da Separação’, de Vinicius de Morais

Quem quiser pode conferir em:
http://contato.luapio.blog.uol.com.br/

Tá certo que a gente sabia que seria curta temporada, mas terminar antes da ‘estréia’ é tragicômico. Parece até a Viúva Porcina... Aquela que foi sem nunca ter sido.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

















POLÍCIA

Você tem Dado em casa? (A Luana não)


Isto mesmo: Luana Piovani anunciou separação de Dado Dolabella. Até aí morreu Neves. O que chama atenção para o evento foi a forma do rompimento; na delegacia!

O casal chegou às vias de fato durante uma discussão na boate 00, na Gávea, Zona Sul do Rio.

Ao tentar apartar a briga, a camareira do espetáculo de Luana, Esmeralda de Souza, foi empurrada pelo ator, e foi levada ao Hospital Souza Aguiar, há cerca de 200m da boate.

A camareira precisou imobilizar os dois braços devido a luxações nos punhos, já que Esmê tem 62 anos e, apenas 42kg, e, por isso, se machucou muito com o impacto da queda.

Quero ver causar esse estrago empurrando o João ex-Gordo.
(Muito melhor que Maradona: Biro Biro para seleção brasileira!)


ESPORTE

Crack (ou cocaína) Maradona é novo técnico da seleção Argentina

Nem os argentinos aturam mais o esse mala. Segundo pesquisa do jornal La Nacion, um dos mais respeitados do país, o 'ídolo' é rejeitado por quase 73% dos torcedores!

Deixem aqui a sua gargalhada para Dieguito!

terça-feira, 28 de outubro de 2008


MEU MUNDO

TOC – Transtorno Obsessivo em Carros

Alguns de vocês devem lembrar-se da minha duríssima queda-de-braço com o garagista do meu novo prédio para chegarmos ao consenso do valor pela lavagem do meu carro.

Como escrevi anteriormente, ele me ofereceu seis enxágües de carroceria e duas lavagens completas por R$ 40 mensais. Mas eu achei que era ‘motainai’ (desperdício, em japonês) e lhe propus que me prestasse metade do serviço por 50% do valor.

Oferta aceita, carro limpinho na primeira semana, mais uma lavagem dias depois e mais duas na semana seguinte... Epa!

‘Que negócio é esse?’ Exultei! Logo em seguida procurei o ‘lavador’ para lembrar-lhe que eu era o morador/cliente dos R$ 20 – e três lavagens de carroceria mais uma ‘geral’.

Para minha admiração, ele não tinha esquecido o acordo e mais surpreendente ainda foi notar que ele não estava tentando forçar uma barra para que eu pagasse pelo pacote completo.

O cara me disse que não resiste ao meu carro sujo, não consegue vê-lo sem ter que lavá-lo cinco, seis (quem sabe oito futuramente?) vezes ao mês!

Eu juro que tentei explicar-lhe que assim ele não está fazendo um bom negócio para si, quando ele me interrompeu dizendo que lavava dez, doze vezes ao mês o carro de um vizinho que pratica rali!

Tal qual um viciado em crack, o rapaz é usuário inveterado de água, sabão, metal e borracha!

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

POLÍTICA

É esse o prefeito?

Em 1993 Eduardo Paes se filiou ao PV, mas em 1996 se candidatou pelo PFL;

Em 1999 muda do PFL para o PTB, mas em 2001 volta ao PFL;

Em 2003 troca de novo de partido e passa ao PSDB, contudo em 2007 abandona o PSDB e vai para o PMDB.

Se ele não tem fidelidade partidária, será fiel a você?

Mudar de idéia não é novidade para o Prefeito eleito do Rio de Janeiro. Agora ele se diz contra as milícias, mas já se declarou a favor!


Comprove no vídeo. Confira antes de comentar, são apenas 30 segundinhos!

video

domingo, 26 de outubro de 2008

Foi por pouco, pouquíssimo...

Eduardo Paes (PMDB?) 50.83% 1.696.195
Fernando Gabeira (PV) 49.17% 1.640.970
ELEIÇÕES

Contagem regressiva (0000000000000000)

‘Esta campanha vai derrotar as máquinas estadual, federal e Universal


Fernando Gabeira
Sobre os apoios de Cabral, Lula e Marcelo Crivella
ao adversário de hoje, no segundo turno das eleições, para a Prefeitura do Rio

sábado, 25 de outubro de 2008


ELEIÇÕES

Contagem regressiva (1)

Charge do colega Aroeira, de O Dia, sobre a declaração dos dois candidatos à Prefeitura do Rio, de que já foram (do verbo não são mais – pausa para gargalhadas) usuários de maconha.

‘Maresia sente a maresia

Maresia uhu’



CIÊNCIA

Pau de 56 centímetros assusta ingleses

O naturalista amador malaio, Datuk Chan Chew Lun (nomedifícildaporra), encontrou na ilha de Bornéu, na Malásia, o inseto mais comprido do mundo.

Trata-se do phobaeticus chani, uma nova espécie de bicho-pau. O inseto tem nada menos no que 56 centímetros de comprimento; e surpreendeu os etimologistas do Museu de História Natural do Reino Unido, que estão o apresentando ao mundo.

Trocadilhos à parte, curiosamente o antigo campeão da categoria também era um bicho-pau, de 47 cm. Ambos ganham de longe do, digamos, animalzinho de estimação do ator brasileiro Kid Bengala que tem ‘apenas’ 33 cm de bicho-de-pé.

Perdeu Kid!

(Cientista britânico exibe o bicho-pau verdadeiro)

sexta-feira, 24 de outubro de 2008


ELEIÇÕES


Contagem regressiva (2)


Mensagem subliminar (?) à parte, não vote em branco; não deixem que escolham por você.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

CINEMA

007 sem ‘Bond, James Bond’

Com estréia mundial em 7 de novembro, o próximo filme de James Bond, ‘Quantum of Solace’ (ainda sem título em Português), já é um sucesso anunciado.

Porém, para a frustração dos fãs de 007, não será ouvida nos cinemas a frase que deu fama ao agente: ‘Meu nome é Bond, James Bond’.

Segundo o diretor do longa, Marc Forster, o roteiro incluía a apresentação e que ela chegou a ser gravada pelo ator Daniel Craig, mas, ele mesmo decidiu cortá-la.

Forster disse o fez com intuito de modernizar a personagem (?). Outra atualização da versão modernosa é a troca da bebida preferida de 007; nesta saga ele não beberá Martini, outro hábito clássico do herói.

O que mais nos aguardará? Será que o agente secreto não usa mais pistola nem dirige um Aston Martin, ou, por fim, não veremos as célebres Bond Girls?

Versão Brasileira alterada

Para os fãs da ‘voz brasileira’ de Craig, outra decepção; depois de ter dublado Cassino Royale e mais uma dezena de filmes do intérprete britânico, o ótimo ator Ronaldo Júlio foi substituído.

O cri-crítico divulga, em primeira mão, que a nova voz do galã foi dublada no novíssimo estúdio da Delart Rio, pelo também competente Garcia Júnior.

Não se trata de comparar os trabalhos dos dois dubladores, pois Garcia não precisa provar mais nada. Porém, é uma tendência natural o público preferir a voz com a qual já está acostumado.

Nesses casos, qualquer alteração na escalação parece ser sempre para pior, pois, a mudança de voz causa estranheza aos espectadores. Concordam? Não?

Então ouçam o breve áudio com três versões do mesmo trecho do filme Superman, de 1978.

video

Agora me digam o que acharam!

ELEIÇÕES

Contagem regressiva (3)

'As fraldas e os políticos devem ser trocados freqüentemente... E pela mesma razão...'
(Eça de Queiroz)

CINEMA

'Bambi' é o filme que mais faz chorar
(em compensação, esta foto me fez chorar de rir)

Segundo análise do instituto Pearl and Dean, encomendada pelo jornal britânico Daily Mail o longa-metragem de animação da Disney foi eleito como o filme mais lacrimejante da história do Cinema.

Indagados pelos pesquisadores sobre qual seria a cena mais emocionante, muitos lembraram a imagem da morte da Mãe do veadinho.

Foram ‘ouvidos’ para a pesquisa cerca de três mil internautas. E os dez filmes mais citados foram: ‘Bambi’ (1942); ‘Ghost - Do outro lado da vida’ (1990); ‘O rei leão’ (1994); ‘E.T. - o extraterrestre’ (1982), ‘Titanic’ (1997); ‘Amigas para sempre’ (1998); ‘Philadelphia’ (1993); ‘Uma grande aventura’ (1978); ‘Meninos não choram’ (1999) ; e ‘Flores de aço’ (1989).

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

ELEIÇÕES

Contagem regressiva (4)

Domingo é dia de segundo turno das eleições municipais nas principais capitais do Brasil: CUIDADO!
POLÍCIA

Ctrl C + Ctrl V

Prometi-me não escrever mais sobre o assunto ‘Caso Eloá’ – uma vez que tudo já foi dito – porém, perguntas ainda ecoam.

Para não descumprir a promessa, abaixo transcrevo (Ctrl C + Ctrl V mesmo!) o ótimo texto da colega de Teatro Claudia Valli:


‘O IBOPE DA TRAGÉDIA
Escrito por Claudia Valli
18-Oct-2008

Quanto vale a vida de duas adolescentes? Quantos pontos no IBOPE um canal de TV (concessão pública – é sempre bom lembrar) alcança ao explorar a desgraça alheia? Qual o preço da tragédia humana? Que audiência conseguimos atingir ao perdermos todos os limites da ética?

Não sei responder objetivamente a essas perguntas. Só sei que o que vi, nessa sexta-feira, dia 17 de outubro, na Rede TV, foi estarrecedor.

A apresentadora Sônia Abraão conversava, ao vivo, por telefone, com o seqüestrador das duas meninas de Santo André (durante o seqüestro, claro!). Era a desgraça em tempo real. E não importava o preço dessa inconseqüência. Só o que importava era o IBOPE.

A apresentadora perguntava ao seqüestrador coisas como: “Você tá se alimentando bem? Você tá dormindo? Quer mandar algum recado pra sua mãe, que deve estar preocupada com você, para tranqüilizá-la? O que mais você quer contar pra gente? Você tá bem? Você é um menino bacana... Nós estamos ocupando o telefone fixo da casa, mas se a polícia quiser falar com você, eles têm seu celular, né?”. E ainda completava: “Estamos ao vivo. Pode falar o que você quiser.”. E mais outras pérolas do gênero que só demonstravam que a mídia inconseqüente atingiu o fundo do poço da dignidade humana. Só faltou perguntar pra quem ele queria mandar um beijo.

Como um canal de TV entrevista um seqüestrador ao vivo, ocupando uma linha da casa onde ele está com as vítimas, transformando-o em estrela de um show - o que pode vir a atrapalhar as negociações, por afetar a pressão psicológica à qual um seqüestrador deve estar submetido?

Como uma pessoa sem nenhum preparo para esse tipo de situação de risco tem a cara de pau de bater papo com um rapaz desequilibrado que pode decidir pela vida ou pela morte de duas menores de idade?

Uma hora depois dessa matéria grotesca, as duas meninas foram baleadas e uma delas está (até esse momento em que escrevo) em estado gravíssimo.

É claro que quem apertou o gatilho da arma que atingiu as meninas não foi ninguém da Rede TV. É certo também que diversas questões desse seqüestro e de seu desfecho ainda precisam de muitos esclarecimentos.

Mas é inegável que a banda podre da mídia ultrapassou o limite do aceitável no show de horrores da vida.

Já tínhamos visto isso nos casos João Hélio, Isabela Nardoni e em tantos outros. Mas não tínahmos visto ainda a exploração da tragédia em tempo real. Tão real assim...

Qual será o próximo passo em busca do IBOPE?’
(sic)

Faço minhas as palavras de Claudia. Retiradas do blog (quase sempre bem-humorado) http://blogdavalli.com.br/

sexta-feira, 17 de outubro de 2008



MÍDIA

Deu no Ancelmo...

...Com delay de um mês e meio, o coleguinha Ancelmo Góis deu, hoje, sexta-feira, 17 de outubro, em sua coluna em O Globo, uma nota sobre a mais nova artista de rua do Rio: a Xoxa...

...Conforme eu já havia noticiado em primeira mão aqui no Cri-crítico, no dia 4 de setembro.

Das duas uma, ou a cover de Xuxa está chamando mais atenção (ainda!?) ou tem gente vindo aqui roubar pauta.
Abaixo o link com a prova irrefutável:
POLÍCIA

A morte imita a arte

Há esta hora quase tudo já foi escrito e dito sobre o seqüestro da menina Eloá Cristina, de 15 anos, pelo ex-namorado Lindemberg Alves, de 22 anos, em Santo André. Portanto, quero registrar apenas uma ‘pequena’ pergunta:


Por que após mais de 100 horas (não é hipérbole, mas linguagem literal, gente) de negociações para lá de equivocadas, em que, entre outras barbaridades, a Secretaria de Segurança de São Paulo forneceu mais uma refém (também de 15 anos!) ao seqüestrador; a polícia não conseguiu resgatar ilesas as vítimas?

Em minhas incursões como repórter policial, muitas vezes no front de zonas de guerrilha urbana, nunca vi a figura do negociador – policial preparado física e mentalmente para interagir com criminosos, em situações de grave conflito emocional.

Não sei se no Brasil esta figura (específica e realmente preparada) existe além das fronteiras das telas de cinema. Mas não podemos consentir calados eternos remakes do ônibus 174.

Até quando esta triste realidade vai continuar alimentando a dramaturgia?

Porque este desastroso episódio – podem anotar, em primeira mão – vai virar filme!

quinta-feira, 16 de outubro de 2008


ESPORTE

Alguma Resposta?

Dunga, eu sei que depois de bater o recorde de número de jogos se marcar gol em casa você deve estar pensando(?) nas zil respostas que tem que dar, mas...

Eu só tenho mais uma perguntinha:

Você convocou o lateral esquerdo Juan (na seleção, Juan Maldonado) apenas para desfalcar o Flamengo no jogo de maior público do campeonato?

Parabéns, se esse foi o seu objetivo! Pois, finalmente, você atingiu alguma meta:

Depois que levou o jogador para uma cansativa viagem para sequer relacioná-lo para o banco de reservas, o Flamengo, que estava na briga pelo título, perdeu de 3 a 0 para o Atlético Mineiro, que então estava na zona de rebaixamento.

Um duplo obrigado a você, meu queridão!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

MÍDIA

Prefiro o Agostinho

Pedro Cardoso vem causando polêmica com o seu manifesto contra a pornografia na tevê e no Cinema. Primeiramente em seu blog, em seguida na classe artística e na sessão de estréia do filme ‘Todo mundo tem problemas sexuais’, de Domingos Oliveira, do qual Pedro é ator e produtor.

Bochichos à parte, o que mais me chamou atenção para a matéria foi a entrevista que o ator concedeu ao colega Rodrigo Fonseca, publicada hoje em O Globo.

Nela Cardoso reproduziu algumas sânies de retórica – ou de postura, como queiram.

O primeiro é o de ser indelicado com a imprensa e o segundo é cometer vícios de linguagem achando que, assim, torna o seu discurso mais atraente.

Um dos expedientes usados por ele é a antítese. Desde o início de carreira, o artista costuma dizer algo e logo em seguida desdizer para chamar atenção.

Lembro-me bem de uma entrevista ping pong (daquelas despretensiosas de perguntas e respostas curtas) ao JB, em meados da década de 80, em que ele respondeu que a invenção do século era a tevê e duas perguntas abaixo replicou que o mal do século era... A tevê. Incauto, não?

Outro problema de Pedro é ser extremamente pleonástico e prolixo. Tal qual a sua personagem de maior sucesso, o Agostinho, de ‘A grande família’, seu intérprete parece tentar repetir o mesmo anátema mil vezes até virar verdade.

A diferença é que Agostinho embrulha as suas mentiras com um formato engraçado, já Pedro enrola o conteúdo.

Voltando à entrevista, na qual ele queria falar de auto-regulamentação dos produtos dramatúrgicos em detrimento de uma nova censura imposta pelo Estado (sai de retro), mas acabou não dizendo nada; Pedro redundou em evocar trechos de seu manifesto em todas, vejam bem, todas as perguntas do repórter.

Por si, esta atitude já é inconveniente, pois, o espaço não era destinado para a publicação da delaração de sua autoria.

Vida que segue, no restante da entrevista, ele não só se recusou ostensivamente a responder às perguntas, como tentou ridicularizar o entrevistador, com frases como:

‘Não sei o que este assunto tem a ver com o meu’, ‘Boa tentativa, mas sua acusação é improcedente’, Eu não vou tecer comentários baseados em suposições vagas que você está fazendo’. (sic)

Contudo, para mim o mais surpreendente foi saber que Cardoso foi peça chave na demissão de um professor do colégio de sua filha, por este ser autor de poesia erótica.

O ator tenta sonegar sua responsabilidade no episódio, mas derrapa quando exulta as suas obrigações paternas.

Sim, caros leitores desculpem-me se sou menos informado que vocês. Mas só depois desta entrevista descobri que Pedro Cardoso é pai. Inclusive, continuo a desconhecer se ele já foi casado, pois, até onde eu sei, ele é homossexual assumido.

Não pensem que contém nesta informação alguma dose de preconceito, sarcasmo ou julgamento. Apenas acho contraditório alguém que é membro de uma minoria oprimida defender qualquer tipo de reprimenda à expressão sexual de outrem.

Se o manifesto é coerente, relevante, levanta bandeiras necessárias, não importa.

Digo, ao menos não importa ao Pedro; já que ele perdeu uma ótima oportunidade de dar o seu recado (sobre o manifesto, por favor) na primeira página do Segundo Caderno de hoje.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Brasil 3 X 0 Brasil B

(vide tópico ‘Só tem japonês?’)

ESPORTE

Pelo mesmo caminho


O técnico da seleção brasileira de futebol de salão (que os garotos de apartamento chamam de futsal), PC de Oliveira, completou a incrível marca de 100 partidas sem derrota, desde que assumiu comando da equipe, em 2005.

No entanto, no melhor estilo ‘vocês vão ter que me engolir’, após a vitória contra a Itália, PC esbravejou contra críticos de seu trabalho e que fazem parte do meio do futsal brasileiro.

Ao invés de exaltar os pontos positivos da importante vitória, que classificou o time para a semifinal da Copa do Mundo, o treinador preferiu usar os seus 45 minutos de fama para desabafar para a arquibancada, chamando de bundões e salonistas fracassados (sic) três militantes do esporte, que ele não quis identificar.

Pois é, pelo visto Zangado, quero dizer, Dunga está fazendo escola.

ESPORTE

Mal humor que não quer calar

Enfim a seleção brasileira voltou a ter um resultado parecido com o qual se espera do futebol pentacampeão mundial. O Brasil goleou; o centroavante Adriano fez o que se esperava dele, gol; Robinho, marcando duas vezes, também pagou sua dívida com a torcida; e Kaká, que também fez um tento, voltou a jogar bem, antes de cansar.

Tudo muito bom, passado o temor de perder duas vezes seguidas para o poderosíssimo escrete venezuelano, uma pergunta ainda não quer calar.

Por que o ‘técnico’ Dunga é tão mal-humorado até nas vitórias?
(O colega Paulo Sérgio captou um soriso de Dunga num momento de descuido do treinador)

Quando não tinha mais nada para falar na entrevista coletiva, Dunga soltou o verbo contra os funcionários do hotel em que os brasileiros estavam hospedados.

Eu sei que a piada é velha, mas...

Já está na hora de mudar o apelido do comandante brasileiro para Zangado, ou, então, trocar de comando finalmente. Senão a seleção conhecida por ter o futebol mais alegre do mundo vai escrever uma história de final infeliz. 2010 bate à porta!

domingo, 12 de outubro de 2008

ECONOMIA

Bolsa em baixa, baixinhos em alta

Na última sexta-feira a Bovespa, Bolsa de Valores de São Paulo voltou a ter perdas em suas transações, acompanhando os prejuízos das bolsas de valores de todo o mundo.

Após ter interrompido os negócios com o Circuit Breaker, logo às 10h35, o índice da bolsa, Ibovespa - principal referência do mercado brasileiro – registrou ao final do dia uma baixa superior a 8%.

Para se ter uma idéia, o Circuit Breaker – mecanismo utilizado pelas bolsas de valores em todo mundo para interromper as negociações de ações por 30 minutos, quando o mercado financeiro apresenta subitamente perdas maiores que 10% em relação ao índice de fechamento do dia anterior – foi acionado pela terceira vez na semana.

Alheio ao colapso financeiro mundial esteve o comércio carioca na semana das crianças. Com números inversamente proporcionais aos da Bovespa, o sindicato dos comerciantes do município indicou um aumento nas vendas de 8%, em relação ao mesmo período do ano passado; registrando ainda que, em média, os pais cariocas gastaram 10% a mais com os presentes do que no dia das crianças de 2007.

Ou seja, a crise está aí para todos os lados que olhamos: nas capas dos jornais pendurados nas bancas; nos telejornais; nas conversas de botecos etc. No entanto, parece que o brasileiro só se dará conta da recessão quando aquele primo de São Bernardo for demitido da Volkswagen – que, aliás, já ordenou férias coletivas.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008



POLÍCIA

Justiça escondidinha

Não é que a Justiça (juiz Sidney Rosa da Silva) absolveu o policial militar Marcos Parreira do Carmo, que assassinou, a queima roupa o jovem Daniel Duque, no dia 28 de junho, em frente à boate Baroneti, em Ipanema?

E por unanimidade!

Marcos, que na noite do crime fazia a segurança de Pedro Velasco, filho da promotora Márcia Velasco, alegou que agiu em legítima defesa e que, enquanto estava apartando uma briga entre grupos de amigos dos dois jovens, Daniel teria tentado tirar a arma da sua mão, provocando o disparo acidental.

Marcos foi julgado inocente na última quarta-feira, no 3º Tribunal do Júri da Capital.

A defesa tem até a próxima segunda-feira, dia 13, para apresentar o recurso de apelação, que será julgado por uma câmara criminal do Tribunal de Justiça do Rio, composta por cinco desembargadores. Se o recurso for acatado, a sentença de terça-feira será anulada e será marcado um novo julgamento.

Longe de mim ser crítico e insinuar que a absolvição do policial/segurança tem a ver com corporativismo da Justiça. Mas você, caro leitor, não acha muito difícil um disparo à queima roupa (30 cm de distância) ser acidental?

Façam os seus julgamentos. Porque o de Daniel, brigão ou não, certo ou errado, já foi feito. Para ele; pena máxima. Aquela que nós homens não temos o direito de sentenciar.
Saudoso Bezerra, ‘Malandro é malandro, Mané é mané’ e ‘Bicho Feroz’ do Morro do Escondidinho a gente sabe o que é:

Bicho Feroz (Bezerra Da Silva)


Você com revólver na mão é um bicho feroz
Sem ele anda rebolando e até muda de voz

É que a rapazeada não sabe
Quando você entrou em cana
Lavava a roupa da malandragem
E dormia no canto da cama
Hoje está em liberdade
E anda trepado como marra de cão
Eu conheço seu passado na cadeia
Seu negócio é somente pagar sugestão

Olha aí vacilão...

Você com revólver na mão é um bicho feroz
Sem ele anda rebolando e até muda de voz

Siplesmente tô dando esse alô
Porque sei que você não é de nada
Quando leva um arroxo dos homens
De bandeja entrega toda rapazeada
Acha bonito ser bicho solto
Mas não tem disposição
Quando entra em cana novamente
Vai passar lua de mel outra vez na prisão

Olha aí safadão...

Você com revólver na mão é um bicho feroz
Sem ele anda rebolando e até muda de voz

É que a rapazeada não sabe
Quando você entrou em cana
Lavava a roupa da malandragem
E dormia no canto da cama
Hoje está em liberdade
E anda trepado como marra de cão
Eu conheço seu passado na cadeia
Seu negócio é somente pagar sugestão

Olha aí corujão...

Você com revólver na mão é um bicho feroz
Sem ele anda rebolando e até muda de voz

Siplesmente tô dando esse alô
Porque sei que você não é de nada
Quando leva um arroxo dos homens
De bandeja entrega toda rapazeada
Acha bonito ser bicho solto
Mas não tem disposição
Quando entra em cana novamente
Vai passar lua de mel outra vez na prisão


Olha aí safadão...

Você com revólver na mão é um bicho ferozSem ele anda rebolando e até muda de voz

POLÍCIA

Traficantes escondidinhos

Esta semana foi encontrada no Largo do Machado, uma senhora de 76 anos, espancada por traficantes em uma favela do Rio Comprido.

Ao recusar hospedar soldados do tráfico em sua casa, a idosa levou uma surra e, logo após os bandidos fugirem, atravessou o túnel da Rua Alice e seguiu se arrastando pelo bairro de Laranjeiras até desmaiar em frente à estação do metrô.

Pedestres que passavam pelo local socorreram a mulher e a levaram para a cabine da Polícia a poucos metros dali. Os policiais militares se encarregaram de encaminhá-la ao Hospital Souza Aguiar, onde a idosa permanece sob proteção policial.

Horas depois dois homens se apresentaram à polícia ‘espontaneamente’, declarando-se culpados pela agressão.

Os rapazes, vizinhos da vítima, têm trabalhos fixos e testemunhas de que estavam em outro local na hora do crime.

Resumo da ópera: os ‘malandros’ espancaram a velhinha porque não conseguiram pressioná-la e agora ameaçam trabalhadores a assumirem a autoria de seus crimes.

Valentes eles, hein?

Isso tudo aconteceu no Morro do Escondidinho. Não existe local mais apropriado para criminosos ‘tão perigosos’ se camuflarem!

Em homenagem a tão ‘distintos’ representantes da malandragem carioca, eu recorro ao saudoso Bezerra da Silva, autor do samba ‘Bicho Feroz’; aquele que sem o revólver anda rebolando e até muda de voz!

domingo, 5 de outubro de 2008


POLÍTICA

Eleições 2008: Lavínia Vlasak na cabeça

Não importa qual seja o candidato ou partido de sua preferência; apenas vote em quem VOCÊ achar melhor para a sua cidade e não em quem lhe prometeu um benefício particular.

Como disse a estrela da campanha publicitária do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e musa das Eleições 2008:

Não venda o seu voto!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008


CINEMA

Página na Internet oferece filmes raros de graça

Mais de 30 cinematecas e arquivos europeus se uniram num projeto para catalogar e divulgar gratuitamente filmes inéditos e raros, produzidos entre 1898 e 1970.

53 filmes foram restaurados, sonorizados, legendados em cinco idiomas e disponibilizados na página http://www.europafilmtreasures.eu/

Infelizmente nenhuma das obras pode ser assistida em Português. O Europa Film Treasures traz legendas ‘apenas’ em espanhol, inglês, francês, italiano e alemão. Os filmes vêm acompanhados de fichas técnicas e textos explicativos, escritos por críticos e historiadores de Cinema.

A visualização, gratuita, possui boa definição em tela cheia, porém, teoricamente, os filmes não podem ser copiados no computador.

Mas quem fizer questão de possuir os trabalhos em DVDs, pode baixá-los através do site http://www.downtube.com.br/

quarta-feira, 1 de outubro de 2008




TECNOLOGIA

Dois em um

A feira de tecnologia Ceatec, que acontece em Chiba, subúrbio de Tóquio, no Japão, sempre traz muitas novidades, já que está para a TI (tecnologia da informação) assim como o Salão de Detroit está para os automóveis.

Neste ano o que tem chamado mais atenção do público (além das modelos gostosas que esse tipo de evento costuma ter*) é o celular que se divide em dois.

Isto mesmo, é o protótipo de um aparelho telefônico que permite separar o teclado da tela durante o uso.

*Vide foto




ESPORTE

Só tem japonês?

Começou ontem, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, a Copa do Mundo de Futsal (esporte genuinamente brasileiro nascido sob a alcunha de futebol de salão). Na estréia o Brasil sapecou 12 gols na fraca seleção do Japão.

O técnico PC de Oliveira colocou todos os reservas em quadra, a fim de dar ritmo ao elenco para tentar recuperar a hegemonia mundial na modalidade, perdida para a Espanha, atual bicampeã do mundo.

No entanto, o que mais chama a atenção na competição é o número de brasileiros em todas as seleções que disputam a copa. A Itália, por exemplo, não tem sequer um jogador nascido em seu território. Todos os 14 atletas são brasileiros natos, que pediram cidadania italiana somente para participar da Azurra.

No velho jargão futebolístico, quando se quer ilustrar que uma equipe é fraca fala-se que no time ‘só tem japonês’ – ditado que pudemos confirmar, na prática ontem.

De alguns anos para cá podemos usar outra máxima: no futsal só tem brasileiro!

P.S.: E a Dona Fifa não faz nada!

Cri-crítica – Festival do Rio 2008

O Festival do Rio está chegando à metade, serão exibidos 383 filmes em 14 dias. E se não é o mais prestigiado, com certeza é o maior e melhor festival de Cinema do Brasil.

É válido ressaltar o salto de qualidade que os curtas, documentários e a mostra gay tiveram este ano. Filmes que, sinceramente, não tive a oportunidade de ver em grande escala, mas que estão tendo ótima repercussão entre os ‘entendidos’ – trocadinho infame.

Por enquanto, posso destacar algumas poucas coisas:

As águas de Katrina – História real de uma moradora de Nova Orleans, que ao usar sua nova câmera pela primeira eterniza os estragos do furacão Katrina com as suas lentes. A montagem de suas imagens com as de câmeras das principais redes de tevê do mundo, e entrevistas com políticos locais são um contraste riquíssimo – que lembra o melhor estilo Michael More.

Cantoras do Rádio – É bonitinho. Uma justa homenagem aos ‘anos dourados’ da música popular brasileira. O trabalho de pesquisa do pesquisador Ricardo Cravo Albin é elogiável e, até, segura a onda de uma possível monotonia do filme.

Hipotecando os E.U.A – É difícil separar dramaturgia da realidade neste filme. Uma espécie de ‘Todos os Homens do Presidente’ (clássico dos anos 70, com Robert Redford e Dustin Hoffman) da atualidade. Não chega a impressionar, mas é sempre interessante ver que os políticos de lá são muito parecidos que os daqui: teimosos e soberbos. Mostra a repetição de erros como gastos irresponsáveis com material bélico e a insistência com a ocupação do Iraque, que pode mudar o orçamento e a história dos Estados Unidos e do mundo.

Pequenas Histórias – Inicialmente parece a Dona Nenê, de ‘A Grande Família’, da roça. Mas a atuação de Marieta Severo é tão consistente quanto simpática, que é impossível não se envolver no ‘filminho’. As participações de Paulo José, Patrícia Pillar e, o sempre pertinente, Gero Camilo também acrescentam à obra do diretor Helvécio Ratton, que é uma espécie de Tim Burton brasileiro – gosta tanto de fábulas... Ao menos mais do que eu.

Rê Bordosa – Pena que não vi na íntegra este mocumentário (documentário ficcional) em animação da personagem mais carioca do Angeli. Tive a impressão que é (só) para rir do início ao fim.

Não posso deixar de registrar dois filmes que me foram super indicados por uma das minhas duas leitoras: ‘Vermelho Sangue’ e ‘Parto Orgásmico’, que apesar do péssimo título me garantiram ser ótimo.
ERRATA

A pedidos do leitorado deste blog, faço uma correção:

Sabrina Sato não é a mulher mais gostosa do Brasil. É a mulher mais gostosa do mundo!!!