quinta-feira, 30 de abril de 2009


SAÚDE

Suína não! Gripes mexicaína e bacalhauína

A foto acima não deixa dúvidas:

Essa é uma máscara anti-gripe mexicana e não de gripe suína, como tem sido divulgado erroneamente nos principais veículos de comunicação.

E eu nem estou levando em conta que o consumo de carne de porco não acarreta doença, uma vez que o vírus é eliminado pelo calor do cozimento. A grande questão é:

Você já viu algum porco com esse bigode?

Certa vez eu vi de (bem) perto um bacalhau de bigodinho de Hitler... Mas essa é outra (triste) história...

P.S.: As fotos da gripe bacalhauína são impublicáveis

terça-feira, 28 de abril de 2009

(Até Ele precisa tomar cuidado para não ser punido)

ESPORTE

Ajoelhou tem que rezar

Essa é da série pára o mundo que eu quero descer!

Ontem o técnico do Mengão, Cuca, foi julgado e condenado por ter ido ao vestiário do time para rezar com os jogadores na partida contra o Fluminense, na semifinal da Taça Rio, quando ainda estava suspenso por conta de ofensas ao árbitro na partida contra o Vasco.

O treinador foi punido com mais 90 dias de suspensão, e não poderá ficar no banco na decisão do Campeonato Carioca, no próximo domingo, contra a turma do chororô.

Em tempo: o julgamento foi fundamentado em imagens da Fla-TV, o canal de webtv do seu próprio clube. Com amigos como os assessores de imprensa do Flamengo, o Cuca não precisa de inimigos!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

CULTURA

Diversão e arte

Para os leitores e blogueiros amantes da poesia, O Cri-critico quer mostrar que também é cultura. Deliciem-se!

P.S.: O completo entendimento deste é para iniciados na arte e pessoas bem informadas.

Cadê você

Cadê você

No Maracá eu nunca vi

No Engenhão, nunca está lá

Os jogadores todos choram

Não tem ninguém para apoiar
(Domínio público)

Havia um Emerson no meio do caminho, no meio do caminho havia um Emerson.

E agora Ney?

(Paráfrases de Carlos Drummond de Andrade)

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Figurinha Carimbada

Soldado Desconhecido


Não sei ao certo porque na semana de Tiradentes e do descobrimento oficial do Brasil, o dia de São Jorge foi o mais comemorado no Rio de Janeiro. Levando-se em conta que ele sequer é o padroeiro da cidade, só por isso, o santo guerreiro merecia o título de notável da semana no Cri-crítico.

Eis que no meio das celebrações ao Conde da Capadócia, em Quintino, subúrbio do Rio, surge um outro soldado querendo aparecer mais do que o homenageado do dia.

Tal qual Jorge (salve Jorge!), o aparecido chegou ‘montado’.

Não em um cavalo branco e tampouco empunhando uma lança. Um Rambo de Quintino (ou seria de Rabo Quentinho?) brotou no meio da procissão em cima do capô de um carro da polícia e exibindo um fuzil para a multidão ao pretexto de organizar o cortejo.

Apesar de ser flagrado e fotografado, por toda Imprensa que fazia a cobertura do evento, coagindo os fiéis, o Soldado Rombo não foi identificado pela polícia carioca. (?)

(Literalmente 'Na Mira do Tira')


O delegado titular da 28ª DP (Campinho), Carlos Machado, declarou desconhecer o portador da arma pertencente ao arsenal de sua própria delegacia. (?) Limitou-se a informar que o indivíduo é um agente penitenciário (sem autorização nem treinamento para usar arma de fogo), que pegou carona com um policial civil... Também não identificado...

Pára tudo!

Agora não é apenas um, mas são dois os ‘soldados’ desconhecidos?

O inspetor Antônio Cláudio Rayol, (ir)responsável pela diligência da Polícia Civil à Igreja de São Jorge, colocou a cereja no sunday ao assumir que ‘ninguém estava autorizado a levar o fuzil para o local e muito menos a usá-lo para pedir que as pessoas se afastem para que o carro da polícia possa passar’ (sic).

É claro, ele não tem a menor idéia de quem foi o terceiro elemento que liberou o armamento pesado para sair da delegacia.

Aos policiais eu respondo: ‘amiguinhos, se vocês não conseguem identificar sequer os agentes de segurança envolvidos em um caso como este, os (outros) bandidos então...’

Não sei se é para rir ou chorar, porém confesso que estou me mijando de rir desta tragicomédia e de seus bufões.

Como alguém tinha que saber de alguma coisa nesta província, hoje o secretário de Administração Penitenciária, César Rubens Monteiro, declarou que o Arombado foi identificado como Rafael Baltar Abraão, agente penitenciário do presídio Bangu 3, que, pasmem, deveria estar trabalhando na penitenciária na hora em que foi flagrado.

O secretário informou que já determinou o afastamento do funcionário e pediu a abertura de um inquérito administrativo que deverá levar 30 dias para ser concluído.

P.S.: O policial (não identificado) que deu carona a Rafael na viatura da 28ª também foi afastado. (risadas, muitas risadas)

quarta-feira, 22 de abril de 2009

RIO

Cidade luz? Não aqui

(O show de luzes deveria ser assim, como em Valência...)

(...mas foi assim, na Lagoa)

Durante a semana que antecedeu o show de fogos intitulado ‘O encontro da água e do fogo’, falou-se que o evento na Lagoa Rodrigo de Freitas, abertura oficial do ano da França no Brasil, seria um autêntico réveillon fora de época.

Além do título e subtítulo – ‘O Rio vai virar Cidade-Luz’ – para lá de chamativos e, reconheço, pertinentes, achei pretensiosos os slogans que foram criados para a campanha de divulgação.

Entre outras menos cotadas, a expressão ‘O Rio nunca viu nada igual’ foi repetida exaustivamente pelos organizadores em suas manifestações na mídia espontânea e nos informes publicitários.

Todavia muitos devem lembrar que o Rio de Janeiro foi a cidade sede de Jogos Pan-Americanos, da final de uma Copa do Mundo e de centenas outros campeonatos desportivos internacionais; o local das maiores apresentações das carreiras de artistas como Frank Sinatra, Paul McCartney, Rolling Stones; do maior réveillon do mundo, o de Copacabana; e do maior show da terra, o carnaval carioca!

Pronto. Feita uma sucinta anamnese sócio-cultural da cidade maravilhosa eu pergunto-lhes, caros leitores: alguém viu o show anunciado?

Eu não. Nem o milhão de pessoas que estavam sendo aguardadas.

No meu caso existe um agravante, pois, eu estava no último andar do prédio mais alto da Lagoa.

Assisti, sim, algumas novidades, como as lanchas pirotécnicas, que disparavam os fogos de artifício em movimento; algo que nunca vi no Brasil tampouco em outros países que visitei.

Porém, o mega-espetáculo teatral (sic) e show de cores, luzes e som, orquestrado pelos artistas e equipamentos instalados no Estádio de Remo da Lagoa não foi visto por quase ninguém fora da área VIP.

(Visão da área VIP: Teatro, luzes e som, só para convidados)

E daí?

Para quem chegou até esta parte do texto, deve estar achando que minha indignação se deve ao fato de uma minoria distinta ter sempre privilégios em detrimento do cidadão comum que, enquanto pagador de impostos, é o patrocinador do evento ‘gratuito’.

Surpresa! Não é esta a minha razão.

Indignam-me muito mais as notícias, portanto relatos dos fatos, do dia seguinte, hoje.

Leio vários jornais, assisto atenciosamente aos programas de tevê, navego por sites de informação, blogs e...

O máximo que encontro são frases de que a chuva que desabou sobre a cidade não atrapalhou o espetáculo.

Como assim?

Como pode a Imprensa não noticiar o fracasso de um evento no qual eram esperadas um milhão de pessoas e aparecem menos de cem mil; 90% destas não conseguiram ver o show de luzes; e uma outra parcela não conseguiu observar nem os fogos, detonados atrás de uma cortina de fumaça?

Há dois ou três anos quando um fenômeno climático semelhante – chuva sem vento – micou o réveillon de Copacabana, muita gente boa que tem por aí caiu de pau no então alcaide do Rio, César Maia, no promotor do evento, na indústria de fogos de artifício e, até, no flanelinha que atrapalhou o trânsito.

Contudo, hoje eu não vejo nenhuma citação desfavorável na mídia.

Não me perguntem se é por medo da cúpula dos veículos de comunicação sofrer retaliação financeira da meia dúzia de patrocinadores do evento; eufemismo dos jornalistas; ou erro operacional de quem estabeleceu as equipes de reportagem somente nas proximidades do palco – onde foi tudo lindo e maravilhoso.

Sinceramente não sei.

Os fatos são:

A inauguração do ano da França no Brasil (que merece todo o prestígio nos seus próximos 199 eventos oficiais) foi uma merde!

Provavelmente vocês não encontrarão esta verídica versão em nenhum veículo de comunicação.
Leo Pinheiro é um jornalista, não é a Imprensa

domingo, 19 de abril de 2009

Figurinha Carimbada

Reinado Carlos

Neste Domingo, ele inicia, pela sua terra natal, Cachoeiro de 1001, a turnê de comemoração dos seus 50 anus de carreira. Na profunda procto-excursão pelo interior do país, o rei vai percorrer nada menos do que 35 cidades.

Mas calma, não será à pé! Senão demoraria mais 50 anos para terminar a caminhada. Um evento que ninguém agüentaria esperar, e provocaria uma ansiedade coletiva comparável somente à expectativa das novas novidades de seu novíssimo especial de fim de ano na tevê Globo.

Mas desta vez, Roberto Dinamite promete lançar mais uma explosiva outra versão definitiva de sua coletânea musical, diga-se, autorizada. Pelo menos mais do que sua biografia.

Não quero entrar no mérito pseudo-editorial, que fez o Rei Leão censurar a homenagem literária que recebeu. Mas dizem as más línguas que foi porque os textos não estavam a sua altura; não conseguindo ser tão piegas quanto as letras de suas músicas.

Outra corrente, maldosamente, afirma que foi porque o cantor é tão cheio de manias que estava disposto a censurar até a sua autobiografia.

Tudo mentira! Depois que casou com Maria Irrita, Aberto Carlos se mostrou um homem menos supersticioso e mais ecumênico. Apesar de católico fervoroso, começou a praticar reiki e foi fechar o corpo no babalorixá de Caetano Veloso.

Sua esposa, que não era a filha menos talentosa de Elis, mas cantou para subir, deixou o Reiki Roberto deprimido e com mais psicoses do que nunca e, agora, Alberto Roberto dedica a vida a exigir que as homenagens a ele sejam tingidas de azul.

Os menos desavisados devem ter sabido que o logotipo do Banco Itaú e, até, o Segundo Caderno do jornal, O Globo, da última sexta-feira, foram pintados pela cor predileta do rei.

Alinhados com a vontade do cantor que não amarela em espetáculos decisivos nem se abaixa para ajeitar os dois meiões (entenderam, entenderam?), a equipe do Cri-crítico se rende como simples súditos e presta homenagens ao imperador do Brasil conferindo-lhe o primeiro e único título de Figurinha Carimbada azul-rei!


Como não se levar a sério é premissa da profissão de jornalista, este blogueiro que vos escreve queria se auto-intitular imprensa marrom. Porém, desaconselhado pela produção do artista à usar neste texticulo a tonalidade menos querida do cantor; desisti do meu título.

Aliás, desculpo-me por ter escrito o nome da referida cor neste post. Foi mal, Bob!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

CTRL C + CTRL V

A postagem de hoje é uma dupla homenagem.

A primeira à jovem escritora e pupila Nat Valarini, que bebeu sedenta na minha fonte (não da forma como eu desejo) e, disciplinada, elevou a sua escrita à nível profissional.

A segunda a mim mesmo. Afinal, fui um bom professor. Duvida?

Então leia atentamente o texto abaixo, comentem a óbvia semelhança com a coluna ‘Figurinha Carimbada’, deste Cri-crítico, e delicie-se com o primor de sarcasmo dessa presente grande escritora.

Nat, você já é uma realidade, minha... Querida! (risos)

Kiso

Marcela Dromedário:
o clone de Camelo
Por Nat Valarini

Após 378 dias de gestação, a mamãe Camelo deu à luz ao primeiro Camelus dromedárius clonado do mundo, ao menos, o primeiro a ser divulgado.

O animalzinho, que nasceu no CRC (Centro de Reprodução de Camelos) no dia 08 de abril de 2009, é um filhote saudável que pesa aproximadamente 30kg, sendo que, segundo fontes do Garota Pendurada, 7kg são só de jeba! Brincadeirinha: o filhote é uma fêmea. Inclusive, isso vai pegar muito mal para o fornecedor do material genético*, o ex-atual líder de banda modista, Marcelo Camelo, aquele mesmo que cantava o hit "- Oh! Ana Júliaaa, aahhhh, ahhh, aaaahhhhhhhhh..."

Perguntei ao cantor qual será o nome da cria. O músico experimental fez um gesto obsceno com a mão direita (não antes de discursar uma lista extensa de palavrões) e declarou que não quer que chamem o bebê de Marcela Dromedário**. Acho que ele está coberto de razão, pois batizar o mamífero com esta alcunha seria um caso clássico de redundância.

Sobrou para os cientistas a missão de nomear a pequena criaturinha. Depois de muitas discussões, a equipe decidiu chamá-la de Injaz (que significa Façanha) em homenagem ao cantor, é claro! Afinal de contas, já é notório que Camelo não é fraco e que há tempos, desde 1997 para ser mais exata, ele consegue o enorme feito de estar no mercado fonográfico e ‘passar o rodo’ numa pá de mulheres na maior descrição (com exceção, apenas, de sua última namoradinha-inha-inha, a qual eu não vou citar o nome).

Se você, amado leitor, não for um ser desatualizado e/ou carente de senso de humor cretino, saberá que essa notícia não é novidade alguma, uma vez que, quase, todos sabem que o primeiro clone de Camelo chama-se Rodrigo Amarante: guitarrista, baixista, vocalista e um dos compositores do grupo musical ‘Los Hermanos'.

Caso não tenha gostado da matéria e ache uma grande falta de respeito com um dos ícones da MPB, o que se há de fazer? Nem Cristo agradou a todos! Contente-se a entrar na parte de comentários para rosnar a vontade.

Se você se encaixa no grupo dos que não entenderam a piada, significa que está longe do cenário da música alternativa-chatinha do país, meus parabéns!

*Ok, todos sabem que o processo de clonagem foi feito a partir das células do ovário de um animal adulto, logo, o sarro é mera sacanagem com o pobre artista e, não, eu não conversei com ele pessoalmente (Deus me livre, inclusive!);

**Sim, o clone é um dromedário, afinal Injaz possui apenas uma corcunda - Garota Pendurada também é cultura (inútil, diga-se de passagem!).

Confira a matéria na íntegra e sem sacanagem:
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,nasce-em-dubai-o-primeiro-camelo-clonado-do-mundo,354510,0.htm
Quem quiser continuar acompanhando o trabalho dessa Garota... Pendurada; visite e comente no blog http://garotapendurada.blogspot.com/




POLÍCIA

Flagra: suíços são surpreendidos chicoteando passageiros de trem

Se vocês, caros leitores, me permitem, vou redundar a cerca de um assunto que tomou as telas de todos os telejornais do Brasil nesta quarta-feira:

Os passageiros que foram chicoteados em um trem na Suíça por seguranças da SuperVia.

Parafraseando o coleguinha Ancelmo Góis: deve ser horrível morar em um país assim!

Enquanto isso no Japão...

Os Oshiya (empurradores) usam luvas brancas para ordenar a entrada dos passageiros e organizar o fechamento das portas dos vagões.

quarta-feira, 15 de abril de 2009


MODA

Cota de paciência

Os organizadores do São Paulo Fashion Week emitiram, esta semana, nota à imprensa, notificando estar avaliando que os desfiles das próximas semanas de moda tenham um percentual mínimo de modelos negros e pardos.

A promotora do evento, Débora Afonso, requer para si a autoria da idéia e, ao mesmo tempo, afirma que ainda não definiu a data de implementação das novas regras nem cotas – atualmente o percentual de negros nas passarelas é de cerca de 3%.

Verdade seja dita a medida não é nenhum conceito de qualquer um que seja da organização o SPFW, mas uma satisfação demagoga ao Ministério Público que investiga denúncias de racismo por parte dos promotores.

A cúpula do MP já se manifestou publicamente afirmando de que caso sejam estabelecidas cotas, estas deverão ser cumpridas, senão os desfiles poderão ser embargados.

A minha quase colega (está se formando em jornalismo) e quase amiga Taís Araújo (não a vejo há muito tempo), habilmente, não faz parte da turma que acha que a política de cotas deveria baixar no mundo fashion.

Em recente entrevista que fiz com o presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos do Rio, Sated-RJ, Jorge Coutinho, ele me revelou que também é contra a esse ato de racismo, seja na moda, nas artes ou mesmo nas universidades públicas.

Felizmente Jorge, que é negro, demonstra lucidez e competência ao lutar pelos interesses não só dos atores negros, pardos ou amarelos, mas de todos os artistas – modelos, inclusive – filiados ao sindicato que preside.

Em uma idéia muito mais producente e inovadora o ator defende que na semana de moda do Rio exista um reserva de mercado para modelos cariocas.

Que assim seja em todos os lugares e classes trabalhistas. Que sejamos todos os trabalhadores do Brasil representados por quem defenda os nossos direitos, sem discriminação de cor da pele.

sábado, 11 de abril de 2009

Figurinha Carimbada

Silvio Macarrone

Diante de um dos maiores desastres naturais e arquitetônicos da história da Itália, ele, o mais famoso animador de reuniões do G- 20, o apresentador de programa de auditório da União Européia, não poderia ficar calado.

Silvio Santos declarou à imprensa de seu país que as vítimas do terremoto na província de Áquila, na região de Abruozzo, que estão desabrigados, deveriam encarar o campo de refugiados onde estão instalados como ‘um camping de final de semana’ (sic).

Não contente em falar uma das maiores besteiras da história da fala humana, Besteirone insistiu, e alertado por assessores de que a repercussão de suas declarações não tinham sido positivas, reiterou, ‘Eles têm tudo o que precisam, abrigo à noite, comida quente, calor humano dos voluntários é como um fim de semana no camping’.

Realmente, o que um ser humano pode querer mais? Casa, roupa limpa, banheiro, documentos... E mais toda a sorte de coisas que foram perdidas durante a catástrofe???

Como um ‘bom político’, Babacone prometeu reparar os estragos causados pela natureza e anunciou a liberação de U$ 40,6 milhões para repor todas as perdas das vítimas.

Não sei por que, mas acho que vai ser difícil adquirir 300 novas almas para serem colocadas no lugar das que se foram soterradas pelos escombros de uma cidade inteira.

A não ser que ele tenha a genial idéia de fazer compras no Palácio do Planalto. Mas acho que será um pouco difícil explicar para uma criança que acabara de perder os pais a aceitar a alma de um político brasileiro no lugar de seus progenitores.

Macarrone imbuído de seu instinto micoso tentou emendar justificando que suas declarações eram chamamentos aos melhores instintos infantis e disse: ‘As crianças precisam ser convidadas ao sorriso, ao otimismo e à brincadeira. O objetivo é evitar o pessimismo o negativismo e a morte’.

Com muitas lonas estendidas, crianças, sorrisos e brincadeiras; o clima definitivamente não poderia estar melhor.

Só falta um palhaço para ficar mais parecido com um circo.

Ops, então não falta mais nada.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

(Gás caro no cú do povo é refresco)


ECONOMIA

Economia? De quem?

Diariamente o Brasil importa da Bolívia 30 milhões de metros cúbicos de gás, mas só está utilizando 20 milhões.

A produção nacional é de 30 milhões, mas a demanda atual é de apenas 22 milhões de metros cúbicos.

Não é preciso ser um gênio da álgebra para calcular que entre o gás importado e o que é produzido no país, sobram18 milhões de metros cúbicos nos tanques da Petrobrás.

Esta é uma boa notícia?

Não.

Mas o preço vai cair?

Sim.

Mas o ruim e inexplicável é que a data da provável queda dos preços para o consumidor ainda não foi anunciada e, acredite, caro leitor, pode não chegar.

A própria Petrobras admite que, na última conta que fez com os fornecedores bolivianos, o preço do gás importado caiu 44%.

Porém, tal qual faz com a gasolina e o óleo diesel, que caíram vertiginosamente por causa da baixa do preço do barril de petróleo de U$ 140 para U$ 40 no mercado internacional, a estatal não se manifesta a respeito de reduzir os preços para o consumidor final.

A diretoria de abastecimento e gás da Petrobras repassou à imprensa um comunicado de que a empresa fará no fim deste mês o primeiro leilão de gás da história e vai oferecer este gás que está sobrando por causa do alto custo do desperdício.

27 empresas distribuidoras de gás no Brasil estão habilitadas a arrematar os lotes de gás e depois vender o produto ao consumidor final, seja ele da indústria, proprietários de carros ou residência.

No entanto, o Cri-crítico não quer calar e pergunta:

As distribuidoras serão obrigadas por algum decreto ou contrato a repassar para esses consumidores o ‘desconto’ no preço do gás?

Senão esse leilão não tem sentido nenhum!

Seria como, por exemplo, reduzir o IPI dos carros, o país perder em arrecadação de impostos para incrementar as vendas das fábricas de automóveis, e permitir que a GM demitisse, no mesmo período, 800 funcionários.

Um absurdo.

Pára tudo!

Mas não foi exatamente isto que aconteceu em dezembro?

segunda-feira, 6 de abril de 2009


ESPORTE

Bodas de prata interrompidas

Após 25 anos daquela que foi a mais longa parceria do esporte mundial., o Flamengo jogou pela primeira vez sem o patrocínio da Petrobras estampado em seu uniforme.

No entanto, antes da partida contra o Fluminense, ontem, no Maracanã, os jogadores rubro-negros estenderam uma faixa em homenagem ao patrocinador, ratificando que o rompimento do contrato foi amigável.

O clube decidiu não renovar a parceria somente porque não poderia receber as cotas de patrocínio da empresa estatal enquanto não estivesse em dia com os impostos e pudesse pagar as Certidões Negativas de Débito (CND).

Como o Rubro-Negro tem uma dívida de cerca de R$ 11 milhões, sem previsão de pagamento, os dirigentes deliberaram que o clube precisa do patrocínio de uma empresa privada, pois toda quantia irá obrigatoriamente para o clube, sem a obrigação de pagar as dívidas federais.

Segundo os dirigentes, já existem três empresas interessadas em estampar sua marca na camisa, manga, calção ou meião. Os cartolas flamenguistas declararam que já nesta quarta-feira o clube pode jogar com o novo patrocinador estampado na camisa.

Até agora ninguém da diretoria quis revelar os nomes dos possíveis futuros patrocinadores, mas os coleguinhas da imprensa já levantam a hipótese de o provável patrocinador estar entre a Oi, Nestlé ou Suvinil.

Contudo o Cri-critico aqui apurou pessoalmente que as empreiteiras MRV e Tenda estariam dispostas a pagar algo em torno de R$ 20 milhões anuais pela exclusividade do patrocínio; valor bem superior aos R$ 14,2 milhões que a Petrobras ofereceu pela renovação.

Números vitoriosos

O Flamengo foi o primeiro clube brasileiro a estampar em suas camisas a marca de uma empresa patrocinadora, a Lubrax da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras. Isto no dia 8 de abril, pelo Campeonato Brasileiro de 1984, quando o time derrotou o América por 3 a 0, iniciando a sociedade com vitória, o que seria a tônica da parceria.

Desde que começou a ser patrocinado pela Petrobras, o Flamengo conquistou muitos títulos. Foram nove Campeonatos Cariocas (1986, 1991, 1996, 1999, 2000, 2001, 2004, 2007, 2008); dois Campeonatos Brasileiros (1987 e 1992); duas Copas do Brasil (1990 e 2006); uma Copa Mercosul (1999); uma Copa dos Campeões (2001) e uma Copa Ouro Sul-Americana (1996).

Tempo de Mudanças

Não bastasse o fim da parceria com a Petrobras, o Flamengo deve fechar em breve um novo patrocínio com a Olympikus, que susbstituiria a Nike como empresa fornecedora de material esportivo.

Apesar de a empresa americana ter até o próximo dia 8 para responder se irá igualar a proposta da Olympikus, e da diretoria do clube ainda insistir em seguir com a atual fornecedora, mesmo depois dela não conseguir a demanda de camisas do mercado, os verdadeiros rubro-negros estão na torcida para que a Nike não cubra a oferta da Olympikus.

A empresa genuinamente brasileira se compromete a pagar ao Flamengo R$ 20,5 milhões pelo primeiro ano de contrato e cerca de R$ 31 milhões anuais a partir do de 2010.

Além disso, a empresa construiria um museu e uma grande loja na Gávea, mais dez espalhadas pelo país, dando ao Flamengo com direito a 20% das receitas delas.

Caso o acerto seja concretizado, o Flamengo passará a receber o maior patrocínio de material esportivo do Brasil, bem a frente do segundo colocado - o Corinthians recebe R$16,5 milhões por temporada.

Confira abaixo os maiores patrocínios de material esportivo dos clubes brasileiros:

Flamengo R$ 20,5 milhões/ano (Olympikus)

Corinthians R$ 16,5 milhões/ano (Nike)

São Paulo R$ 15 milhões/ano (Reebok)

Palmeiras R$ 9,2 milhões/ano (Adidas)

Vasco R$ 7 milhões/ano (Champs)

Santos R$ 4 milhões/ano (Umbro)

Fluminense R$ 3,5 milhões/ano (Adidas)

sábado, 4 de abril de 2009

Figurinha Carimbada

Diego Armando Confusão


Semana de reunião do G 20 – desta vez em Londres – é uma oportunidade ímpar para os dedos afiados do mundo inteiro escolherem os vexames à disposição.

Obama, Sarkozy e suas respectivas primeiras-damas Michele e Carla Bruni (que nem compareceu por ciúmes da atenção que a imprensa internacional deu à colega americana) se revezam na arte de micar.

Até a sempre discreta Rainha Elizabeth II escorregou na etiqueta! Fazendo a alegria dos colegas jornalistas e de escritores amadores por toda a blogsfera.

Mas não adianta fazer beicinho (nem você, tá Carlinha!) quem chamou mais a atenção da imprensa mundial e ‘ganhou’ o título de Figurinha Carimbada foi Diego Marafuma. E de goleada!

Não teve para ninguém; o crack (ou seria cocaína?) Baleiona não é peixe, como o Romário, mas morreu pela boca. Isto logo depois de morrer no Boca.

Não satisfeito em ser xingado pelos torcedores do seu time de coração, o Boca de Fumo Juniors, por não convocar o atual ídolo do clube, Riquelme, Marafona pediu para ser execrado pelo resto da torcida argentina.

Exatamente um ano após disputar um jogo de futebol em favor da realização de partidas de futebol na altitude de 3.600 m de La Paz, o técnico (?) foi o (ir) responsável pela derrota de 6 X 1 para a seleção dos alpes e pagou o maior vexame da história do futebol do seu país.

Ano passado Maricona bateu bola com o Presidente peruviano, Baba-ovo Morales, e classificou a proibição da Fifa para a prática do futebol em altitudes muito elevadas como ‘ridícula’ e ‘vergonhosa’. (sic)

Diego Metralhadora, ainda usou sua munição para criticar os brasileiros, nos chamando de medrosos e desconhecedores de futebol.

‘Quem diz que jogar futebol na altitude faz mal à saúde nunca chutou uma bola e não entende nada do esporte’, decretou, com autoridade de melhor jogador de futebol (de botão) de todos os tempos... Da rua dele.

Parafraseando o mestre Carlos Drumonnd de Andrade (este sim um grande conhecedor de futebol!), pergunto:

E agora Diego?

sexta-feira, 3 de abril de 2009

RIO

Faca na caveira

Não é o símbolo do Bope, Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro. As fotos abaixo são do acidente do mergulhador Emerson de Oliveira Abreu, 36 anos, que acidentalmente disparou um arpão de caça submarina contra o seu próprio crânio, enquanto mergulhava na praia da Ilha do Governador, na Baía da Guanabara.

Apesar de ser requentada, não posso deixar de ratificar esta notícia e as cenas chocantes que rodaram o mundo. Confira no site português do Diário de Notícias de Lisboa:

http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1189082&seccao=CPLP

quinta-feira, 2 de abril de 2009












ECONOMIA

Fumantes pagam o pato... E a conta!


No exato momento em que o governador de São Paulo, José Serra, legislou (!?) sobre um projeto de proibição do fumo em lugares públicos, o Governo Federal decidiu sobretaxar os maços de cigarro.

Esta rara afinidade é um sinal de que a indústria tabagista caminha a passos largos para o lugar ao qual ela levou muitos: o funeral.

Por mais que os pessimistas achem que ainda é pouco ou digam que a mudança ainda não é substancial, eu lembro que o melhor parâmetro para observar a transformação é a publicidade.

Onde se consegue ver propaganda de cigarro hoje em dia?

Felizmente em lugar nenhum.

E queiram ou não, os pessimistas e a fabricantes de tabaco têm que reconhecer que hoje há menos fumantes no país.

Não se trata de uma caça as bruxas, de procurar bandidos e tampouco heróis – que hão de aparecer para tirar proveito político.

Mas, sim, é elogiável a atitude do governo de reduzir o IPI, Imposto sobre Produtos Industrializados, de carros, motos e caminhões; cimento e outros materiais de contrução, e colocar na conta dos fumantes.

Alguns já estão reclamando, pois a medida, que deveria aumentar o preço dos cigarros em entre 20% e 25%, pode majorar o preço em até 30%. Elevando o preço de marcas como Free (atualmente R$ 3,30) e Marlboro (R$ 3) em cerca de R$1.

Eu, particularmente, discordo deste aumento.

Acho que o maço de cigarro deveria aumentar para R$ 10!!!

Aí sim os chatos que insistem em nos transformar em fumantes passivos iriam queimar menos dinheiro ao nosso lado.